Desembargador manda internauta se abster de espalhar 'fake news' contra Ricardo Coutinho e Lula – ZERO83


Compartilhe

O período de campanha ainda nem foi iniciado formalmente, mas o primeiro caso envolvendo a disseminação de informações falsas nas redes sociais e candidaturas majoritárias na Paraíba já chegou ao Tribunal Regional Eleitoral. O desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos determinou que um internauta se abstenha de divulgar conteúdos difamatórios e com informações falsas relacionadas ao pré-candidato ao Senado e ex-governador Ricardo Coutinho (PT) e ao ex-presidente Lula.

Na representação o ex-governador relata que teve a imagem usada, ao lado do ex-presidente, em um vídeo em que os dois aparecem sendo associados ao crime de tentativa de roubo.

O material foi difundido em um grupo de whatsapp.

“Como é do conhecimento de todos, a tônica no contexto atual é o combate à disseminação de informações falsas na internet, redes sociais e por meio de aplicativos de mensageiria privada, como o WhatsApp, que de acordo com pesquisas é a rede social de mensagens instantâneas mais popular entre os brasileiros, com potencialidade de “viralização” apta a atingir milhões de pessoas em curto espaço de tempo”, escreveu o desembargador.

Veja também  Pagamentos de precatórios na Justiça Federal são suspensos até 2 de agosto

A decisão estabelece uma multa de R$ 5 mil para cada nova mensagem, em caso de descumprimento.

No mesmo despacho Márcio Murilo indeferiu o pedido do ex-governador para que o facebook e o whatsapp apresentassem “os dados necessários para a identificação do responsável pela autoria e divulgação da imagem e áudio apócrifo”.

A campanha das ‘fake news’, infelizmente, está nas ruas.

João Paulo Medeiros

Jornalista, curioso do Direito, sertanejo e aspirante da ideia de estar a serviço de um mundo mais justo e menos desigual.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Leia também

Pleno Poder

Se tivessem o mínimo de coerência, Progressistas teriam entregado cargos na PMCG há tempos

Partido firmou aliança com João Azevêdo, mas continua ocupando secretarias da gestão Bruno

Pleno Poder

Após mutirão de consultas, Bruno pretende acelerar realização de cirurgias em Campina Grande

Estão sendo colocadas em funcionamento 13 novas salas para cirurgias na rede pública

Pleno Poder

Pagamentos de precatórios na Justiça Federal são suspensos até 2 de agosto

Suspensão foi determinada pelo ministro Jorge Mussi

Cadastre-se na nossa newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *