Polícia confirma 18 mortos em ação no Complexo do Alemão – Correio de Alagoas: Notícias e Esportes

Ao menos 400 policiais militares participaram de ação na comunidade do Rio. O objetivo é combater o roubo de veículos, cargas e bancos

A Polícia Militar confirmou, no início da noite desta quinta-feira (21/7), que a operação conjunta das polícias Militar e Civil no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, deixou 18 mortos, sendo 16 suspeitos e dois inocentes.

As vítimas identificadas são o cabo da PM Bruno de Paula Costa, atingido no pescoço, e Letícia Marinho de Sales, baleada dentro do carro.

O subsecretário operacional da Polícia Civil, Ronaldo Oliveira, afirmou, durante coletiva de imprensa, que preferia que “eles [suspeitos] não tivessem reagido e a gente ter prendido os 15 ou 14, mas infelizmente eles escolheram atingir os policiais”.

Mais cedo, a polícia havia confirmado cinco mortes. Mas os próprios moradores denunciaram terem retirado pelo menos outros três corpos das ruas da comunidade. Eles seriam de pessoas baleadas em confrontos com a polícia. Os mortos foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão e para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

As vítimas

O cabo Bruno estava na corporação desde 2014. Ele deixa esposa e dois filhos. O policial trabalhava no momento da ação e ficou ferido quando a base da UPP foi atacada por criminosos em retaliação à operação no Alemão. Ele chegou a ser socorrido ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu aos ferimentos.

Letícia, 50 anos, é moradora do Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da cidade, e estava na casa do namorado Denilson Glória, que é morador da comunidade. Ela foi baleada no peito e morreu quando deixava o Complexo do Alemão, na manhã desta quinta-feira (21/7).

“Deram tiro numa mulher trabalhadora, que está lá morta, por despreparo policial”, disse Jaime Eduardo da Silva, primo de Denilson.

De acordo com a Polícia Militar, o objetivo da ação é combater o roubo de veículos, de carga e a bancos na comunidade. A corporação afirma que o setor de inteligência indica a presença de criminosos no local que atuam em diversas regiões do Rio.

Ao menos 400 policiais, quatro helicópteros e 10 veículos blindados participaram da ação. Quatro pessoas foram presas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *