‘Estou aliviada’, diz modelo após prisão de francês suspeito de persegui-la nas redes sociais – Correio de Alagoas: Notícias e Esportes

Segundo Rayanne Adorno, as ameaças começaram logo após o fim do relacionamento deles. Em 2019, a modelo registrou um boletim de ocorrência contra Malik na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam Sudeste). Rayanne Adorno é de Teresina, no Piauí — Foto: Redes Sociais/Divulgação

Com a prisão do francês Malik Roy, ex-namorado da modelo Rayanne Adorno e suspeito de persegui-la e ameaça-la nas redes sociais, a piauiense disse estar aliviada. O homem foi preso em Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina, na última sexta-feira (15) pela Polícia Civil catarinense.

Rayanne e Malik moraram juntos na Hungria. Depois do fim do relacionamento, a modelo passou a ser vítima de ataques nas redes sociais. Ela se mudou para o Brasil e as ameaças continuaram.

“Durante esses três anos, foi bem cansativo. Eu recebia mensagem todo dia. Não tinha um dia que eu não recebia uma mensagem de alguém falando que ele estava mandando mensagens, enfim, porque ele não só me atacava, mas atacava e cansava outras pessoas”, contou Rayanne.

A situação se agravou e, segundo a modelo, o ex-namorado começou a mandar mensagens com conteúdos difamatórios e racistas contra ela para mais pessoas.

“Primeiro, quando ele mandava mensagem para as pessoas, ele mandou somente para os meus amigos mais próximos, para minha família. Depois, isso foi se expandindo. Ele começou a encontrar amigos em comum dos meus amigos, ele foi abrindo esse leque, até chegar a um momento que, pessoas que nunca nem me viram começaram a receber mensagens dele me difamando, com mensagens racistas e ele não fazia questão de esconder, eram mensagens de ódio”, comentou a vítima.

Agora, com a prisão dele, Rayanne espera que ele responda judicialmente pelo crime que cometeu.

“Me deu esse alívio, mas eu também tenho que ter um pouco de cautela, porque é uma prisão preventiva. Ele vai ser ouvido, vai ter direito a defesa e, agora, vai ficar nas mãos da Justiça da gente ver qual vai ser a decisão do juiz em relação a tudo isso. Mas, de já, depois de três anos, eu já estou muito aliviada”, declarou.

Investigação Rayanne registrou um boletim de ocorrência contra Malik na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam Sudeste), em 2019. Um mandado de prisão preventiva por violência doméstica foi expedido contra ele, o que possibilitou a prisão do homem em Santa Catarina.

“Verificamos, através do sistema da PF, que o Malik tinha uma saída para fora do Brasil no início do ano, por Foz do Iguaçu, e que não tinha retornado ao país. Na verdade, o sistema não constava essa informação. No entanto, através de diligências, verificamos que o Malik retornou para o Brasil através da fronteira seca e por meio de motocicleta pelo Paraguai”, afirmou o delegado Mateus Zanatta.

Na segunda-feira (18), a Polícia Civil do Piauí (PC-PI) pediu o recambiamento do francês. A polícia aguarda autorização da Justiça para poder ir buscar o preso e trazê-lo para o Piauí, onde ele será ouvido a respeito dos crimes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *