Brinquedos e palhaçadas fazem a alegria das crianças do Martagão Gesteira – Jornal Correio

A dona de casa Adriana Oliveira, 37 anos, estava distraída acompanhando a filha dela, Isis, 9, que está internada no Hospital Martagão Gesteira, no Tororó, para fazer uma cirurgia, quando foi surpreendida por um grupo de voluntárias. As mulheres que entraram na unidade traziam nas mãos bonecas e bonecos para serem doados aos pequenos pacientes. A mãe recebeu o brinquedo com alegria e nem a máscara escondeu o sorriso.

“Fiquei muito feliz, porque é mais que um brinquedo, é um ato de acolhimento. É uma ação muito importante. A gente enfrenta uma luta todos os dias e a sensação é de que somos invisíveis, então, uma ação como essa faz bem, sentimos que estamos sendo lembradas por alguém”, disse. Desde o dia 21 de junho ela está com a filha no hospital.

Fada bordadeira Rita Fraga (de vermelho) recebe o abraço de uma mãe (Foto: Paula Fróes/ CORREIO)

A ação foi uma iniciativa do Instituto ACM, desenvolvida em parceria com o projeto À flor da pele, que confecciona bonecas de pano para serem doadas às crianças e idosos. Tudo é feito de forma voluntária, dos materiais doados até a construção dos brinquedos. As 35 bonecas entregues no Martagão foram produzidas por 27 mulheres das comunidades de Jardim Nova Esperança, em parceria com a Associação São Francisco Xavier, e da Casa Pia dos Órfãos de São Joaquim.

A ação marcou também os 15 anos da morte do senador Antonio Carlos Magalhães, que construiu uma carreira na vida pública como deputado estadual, deputado federal, prefeito de Salvador, governador da Bahia (três vezes), senador e presidente do Congresso Nacional. Em mais de 50 anos de política, também ocupou outros cargos públicos relevantes. O pré-candidato a governador ACM Neto (União Brasil) comentou sobre a saudade do avô e afirmou que ele foi o mais importante líder político da história da Bahia.  

“Quinze anos de saudade e não há um dia em que o nome de meu avô não seja lembrado. Foram 79 anos de vida que sempre ficarão marcados na história da Bahia e no coração dos baianos. Foi com ACM que aprendi a amar o nosso estado e a defender com unhas e dentes esse povo trabalhador, valente, generoso, solidário e talentoso”, afirmou.

Neto também destacou a determinação do avô. “Não havia obstáculo que resistisse diante da vontade e da determinação que ele tinha de fazer a Bahia crescer e de colocar o nosso estado em lugar de destaque no cenário nacional. E é no exemplo de ACM que eu encontro a certeza de que a Bahia pode muito mais. Que orgulho que tenho de carregar esse nome, o nome do nosso maior líder político e daquele que deu régua e compasso para o que somos hoje”, disse.

Alegria A visita das voluntárias animou os pacientes também do setor de oncologia, onde uma palhaça leu histórias e fez a alergia da criançada. A diretora executiva do Instituto ACM, Cláudia Vaz, lembrou que o evento foi realizado em uma data especial.

“Hoje, tanto o Instituto como todas as pessoas que fazem parte desse projeto estão duplamente felizes. Primeiro, porque hoje é Dia do Amigo. Segundo, faz 15 anos do falecimento do senador ACM, que leva o nome do Instituto e deixou um legado de amor pela Bahia. Esse é um projeto de amor, de alegria e de esperança para essas crianças”, disse.

A confecção das bonecas é feita de forma voluntária, através de oficinas semanais de capacitação nas duas comunidades e na sede do Instituto. A intenção é ampliar o serviço para outros bairros. Quem quiser ser voluntário para doar os materiais ou fazer os brinquedos pode entrar em contato pelo site da instituição.

Segundo os organizadores, o objetivo da ação foi despertar o imaginário e o espírito lúdico das crianças, mas a psicóloga e integrante do grupo de humanização do hospital, Laís Damasceno, explicou que os efeitos são percebidos também no prontuário dos pacientes.

“As ações lúdicas dentro do hospital são mais do que meros recursos de distração, são recursos terapêuticos que auxiliam no processo de recuperação do paciente. Quando a criança entra no hospital, esse lúdico vai facilitar tanto a adaptação no ambiente hospitalar, que é ameaçador, desconhecido e em que ele vai ser submetido a diversos procedimentos, e vai auxiliar também no processo de recuperação”, afirmou.

A melhora no humor é o primeiro sintoma notado. As fadas bordadeiras Otília Martins e Rita Fraga, como são chamadas as artesãs que confeccionam as bonecas, contaram que o projeto surgiu em São José dos Campos (SP), com a artista plástica e professora Terezinha Bevilaqua, e atualmente está presente em quase todos os estados brasileiros e em países como Chile, Portugal, EUA e México. “Nunca tinha bordado até conhecer esse projeto. Fiquei muito emocionada”, contou Rita, após receber o abraço de uma mãe.

Os corredores ficaram movimentados com a presença das voluntárias e as crianças gargalharam com as interações da palhaça. A presidente de honra da Liga Álvaro Bahia, que administra o Martagão, Rosina Bahia, agradeceu em nome da equipe.

“Essa ação no Dia do Amigo é uma demonstração de fraternidade do Instituto ACM para com a nossa instituição. Esse é um hospital 100% SUS, e como nós sabemos há muitas dificuldades para a manutenção de uma instituição como essa, o que recebemos consegue pagar 60% dos serviços que realizamos e os outros 40% a gente consegue através de doação, solidariedade e fraternidade das pessoas. Então, nesse dia vocês estão trazendo alegria para as nossas crianças. Estamos muito agradecidos”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *