Suplementos vendidos como emagrecedores devem ser recolhidos na PB – ZERO83


Compartilhe

A Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa/PB) emitiu um comunicado nesta segunda-feira (11) orientando equipes de inspeção e Visas Sanitárias Municipais a recolherem os suplementos vendidos como emagrecedores Lipotramina e Lipozepina. A fabricação, comercialização e propaganda desses dois suplementos estão proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e medidas sanitárias legais serão adotadas para os estabelecimentos que forem identificados descumprindo a proibição.

Conforme a Anvisa, em nota publicada na última quinta-feira (7), produtos que tenham indicação terapêutica, para tratamento, prevenção e cura de doenças ou problemas de saúde, precisam ser registrados como medicamentos. O órgão também ressaltou que não aprovou nenhuma alegação de emagrecimento para suplementos alimentares. Dessa forma, qualquer propaganda que veicule esse tipo de alegação é irregular.

O diretor-geral da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa/PB), Geraldo Moreira de Menezes, comentou a decisão da Anvisa. “Nenhum produto alimentício, inclusive suplemento alimentar, pode alegar propriedades terapêuticas em seus rótulos ou em material destinado à sua publicidade”.

Geraldo Moreira explicou que alimentos ou suplementos alimentares não podem ser associados com alegações terapêuticas, como, por exemplo, a capacidade de emagrecimento. Tais alegações, segundo ressaltou, somente são permitidas para fórmulas registradas na Anvisa como medicamentos, cuja aprovação depende de minucioso processo de análise que inclui, dentre as várias etapas, a apresentação e defesa de estudos clínicos comprobatórios das propriedades terapêuticas alegadas.

Veja também  Veja locais e horários dos postos de testagem para Covid-19 em João Pessoa nesta segunda-feira (11)

Fabricados pela empresa Guki Nutracêutica Ltda. (CNPJ: 06789363000134) e comercializados especialmente por meio da internet, os produtos Lipotramina e Lipozepina foram proibidos pela Anvisa mediante aprovação e publicação da Resolução (RE) nº 2.167, de 30 de junho de 2022. “Com a proibição, ficou determinado também o recolhimento dos referidos produtos do mercado”, observou o diretor da Agevisa/PB.

Fiscalização e recolhimento

Face à proibição da comercialização, distribuição, fabricação e propaganda dos suplementos alimentares Lipotramina e Lipozepina, a Agevisa/PB está orientando suas equipes de inspeção, assim como as Visas Sanitárias Municipais, a ampliarem a atenção para verificar se há lotes dos referidos produtos sendo comercializados na Paraíba. “No caso de ser identificada a comercialização irregular destes dois suplementos alimentares, a ordem é recolhê-los dos estabelecimentos infratores e, ao mesmo tempo, adotar as medidas sanitárias legais cabíveis”, comentou Geraldo Moreira.

Reincidência

Desde abril de 2022, a Anvisa havia decidido pela proibição de todos os produtos fabricados pela empresa Guki Nutracêutica Ltda., pelo não cumprimento das Boas Práticas de Fabricação (Resolução (RE) nº 1.254, de 19 de abril de 2022). Devido à continuidade da propaganda irregular dos suplementos Lipotramina e Lipozepina, que não têm aprovação para alegar a função de emagrecimento, a agência entendeu necessário publicar a proibição e o recolhimento específico para os dois produtos.

Jornal da Paraíba

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Leia também

Saúde

Veja locais e horários de vacinação contra Covid-19 em João Pessoa nesta terça (12)

Vacinação acontece em vários pontos do município para garantir que a população complete o esquema vacinal.

Saúde

Endometriose: o que é e quais os principais sintomas da doença?

A ginecologista Wanicleide Leite explica como é realizado o diagnóstico e os possíveis tratamentos.

Saúde

Hospital de Trauma de Campina Grande registra 1330 atendimentos por quedas durante mês de junho

Na segunda posição, estão as vítimas de acidentes de moto, 617 casos. Ao todo, a instituição atendeu 6.689 casos provocados por razões diversas.

Cadastre-se na nossa newsletter

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *