Justiça condena bilionário por acidente com jatinho que matou 5 pessoas na BA – Jornal Correio

A Justiça de São Paulo condenou o empresário José João Abdalla Filho a pagar uma indenização de R$ 600 mil à família de uma das vítimas do acidente envolvendo o jatinho que caiu durante o pouso na pista do resort Kiaroa Eco-Luxury Resort, na praia de Barra Grande, distrito de Maraú, na região sul da Bahia, em 2019.

Na decisão publicada na terça-feira (5), a  juíza Elaine Faria Evaristo, da 20ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo, condenou o empresário ao pagamento de reparação por danos morais a Lívia Mara Chiaradia Rocha e Antônio Sérgio Alcoba Rocha, pais do ex-piloto de Stock Car Tuka Rocha – morto no acidente.

O bilionário era dono da aeronave, que não teria autorização e qualificação legal para realizar transporte aéreo público de passageiros e chegou a alegar no processo que a culpa pela morte de Tuka seria dele próprio, pois teria retornado à aeronave para tentar salvar outros passageiros.

Tuka Rocha teve 80% do corpo queimado Tuka Rocha teve 80% do corpo queimado (Foto: Gabriel Pedreschi/Grande Prêmio) Maysa Mussi, segunda morte confirmada do acidente, e seu marido Eduardo Mussi, sobrevivente Maysa Mussi, segunda morte confirmada do acidente, e seu marido Eduardo Mussi, sobrevivente (Foto: Instagram/Reprodução) Marcela Elias, que morreu em acidente, e seu sogro Jorge Marcela Elias, que morreu em acidente, e seu sogro Jorge (Foto: Instagram/Reprodução) Tuka Rocha teve 80% do corpo queimadoTuka Rocha teve 80% do corpo queimado (Foto: Gabriel Pedreschi/Grande Prêmio) Maysa Mussi, segunda morte confirmada do acidente, e seu marido Eduardo Mussi, sobreviventeMaysa Mussi, segunda morte confirmada do acidente, e seu marido Eduardo Mussi, sobrevivente (Foto: Instagram/Reprodução) Marcela Elias, que morreu em acidente, e seu sogro Jorge Marcela Elias, que morreu em acidente, e seu sogro Jorge (Foto: Instagram/Reprodução)

“No processo contra Abdalla Filho há farta prova documental, inclusive com comprovantes de transferência de valores, que não deixam dúvidas de que o avião, mesmo sem autorização, realizava fretamentos clandestinos”, diz o advogado Nelson Wilians. “A alegação de que a morte do Tuka seria decorrente de sua própria culpa, além de apenas evidenciar a falta de sensibilidade com o acidente que vitimou cinco pessoas, foi rechaçada por prova testemunhal”, ressalta o advogado que representa a família de Tuka.

Além do piloto Tuka Rocha, morreram no acidente outras quatro pessoas: Maysa Marques Mussi, Marcela Brandão Elias, o filho dela de 6 anos, Eduardo Brandão Elias, e o copiloto da aeronave, Fernando Oliveira Silva.

Entre os sobreviventes estão Eduardo Mussi, marido de Maysa e irmão do deputado Guilherme Mussi, Marcelo Constantino Alves, neto do fundador da Gol, a namorada dele, Marie Cavelan, Eduardo Trajano Elias, marido de Marcela e pai do garoto Eduardo, e o piloto Aires Napoleão.

Acidente O acidente aéreo ocorreu no dia 14 de novembro de 2019. A aeronave que transportava 10 pessoas saiu de Jundiaí, São Paulo, com destino à cidade baiana de Maraú. Os passageiros do jatinho estavam indo para um resort.

O avião caiu durante o pouso na pista do resort Kiaroa Eco-Luxury Resort, na praia de Barra Grande.

De acordo com o laudo do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), o acidente pode ter sido provocado por uma  falha na aterrisagem.

Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *