Maior São João do Mundo aquece economia de Campina Grande dentro e fora do Parque do Povo | Prefeitura Municipal de Campina Grande – ZERO83

Todo mundo já sabe que o Maior São João do Mundo aquece a economia de Campina Grande, atraindo turistas e movimentando campinenses em toda cidade. O Parque do Povo concentra milhares de pessoas todos os dias, contribuindo para esse aquecimento nas vendas de produtos dentro e fora do quartel general do forró.

Maçã do amor, uma pedida do Parque do Povol

No lado de fora do Parque do Povo há um verdadeiro ecossistema formado por trabalhadores ambulantes e com pontos fixos que atendem o público antes de chegar a festa. É o caso de dona Tereza Cristina, 52 anos, que vende maçãs do amor e salgados, há pelo menos 8 anos. Tereza divide as tarefas com o marido e confessa que passou por maus bocados nos dois anos de pandemia, período em que a festa não aconteceu por conta da pandemia de coronavírus.

Dona Tereza tira a sobrevivência vendendo maçã do amor no Parque do Povo

Após dois anos sem a festa, Tereza espera vender mais que a última edição presencial, em 2019. “É uma benção pra gente que precisa trabalhar. Nesses dois anos sem o evento eu e minha família passamos por necessidades. Agora, voltamos com tudo e estamos vendendo bem todos os dias. Acho que vamos vender mais que no último ano”, afirmou.

Trabalhadores extra para o setor de limpeza

Contratações Temporárias

Já as contratações temporárias para o período de festas juninas começaram em maio e continuam aumentando. Só na rede varejista, mais de 200 trabalhadores foram inseridos no mercado de trabalho, de acordo com dados apresentados pelo Sine Municipal. Há a perspectivas de aumento ao longo da festa que terá o encerramento no dia 10 de julho.

A própria Prefeitura de Campina Grande realizou seleção de profissionais para atuar na festa, através da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente. Ao todo, foram contratados 285 trabalhadores para trabalharem durante o Maior São João do Mundo.

Damiana Carlos dos Santos, 41, estava desempregada há mais de quatro anos e viu a oportunidade como uma “volta à ativa” para conseguir cobrir as contas da casa. Ela foi selecionada para uma vaga de Auxiliar de Serviços Gerais. “Eu vi essa oportunidade e corri atrás para conseguir meu lugar. Tenho dois filhos pequenos e estar desempregada há tanto tempo é muito ruim. A gente fica sem saber o que fazer para sustentar a família. Agora, eu queria mesmo era ser contratada para ficar de vez”.

Hoje, são 220 Auxiliares de Serviços Gerais (ASG) e 35 profissionais de Apoio Fiscal (AF) que estão atuando durante os 30 dias de festa. Outros 130 profissionais ficaram no cadastro de reserva e podem ser convocados de acordo com a necessidade da organização do evento.

De acordo com dados do CAGED, o setor que mais se destacou no primeiro trimestre foi o de serviços com 451 contratações para atividades de limpeza. Além disso, a projeção é de um volume maior que o de 2019, que ficou em torno de R$300 milhões.

A perspectiva é de que sejam criados mais de três mil empregos diretos e indiretos no período d’O Maior São João do Mundo.

Codecom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *