Foguinho se apresenta à torcida do Vitória: ‘Tenho bom passe e boa visão de jogo’ – Jornal Correio

O sonho de alavancar a carreira passa por levar o Vitória à Série B do Brasileiro. Vinícius Foguinho tem apenas 21 anos, mas quer colocar o acesso no currículo. Mais um. Depois de devolver a Chapecoense à elite do futebol nacional em 2020, ele quer ajudar a tirar o rubro-negro da terceira divisão.

“O Vitória é um grande clube, que tem o objetivo de subir de divisão. Um acesso na carreira do atleta pode pesar bastante. É um grande desafio na minha carreira. Subir o patamar do Vitória, que é o acesso à Série B, seria um grande feito na minha carreira”, afirmou o meia, apresentado oficialmente pelo Vitória como 29º reforço da temporada.

Ele chegou na Toca do Leão na quarta-feira (25), já treina com o grupo e aguarda ser regularizado para ficar à disposição do técnico Fabiano Soares. O Vitória joga no sábado (28), às 17h, contra o Campinense, no estádio Amigão, em Campina Grande, pela 8ª rodada da Série C. 

“Jogador quer sempre estar jogando. Esse foi um dos principais motivos de eu ter vindo para o Vitória. Dentro das características do time, espero ajudar da melhor maneira possível. Vou dar o melhor nos treinamentos e mostrar ao professor que tenho condições de assumir a vaga de titular, respeitando, claro, os meus companheiros”.

Foguinho pertence à Chapecoense, clube que o revelou e que estava defendendo até este mês. Com o Vitória, firmou contrato de empréstimo até o final da Série C. A expectativa por uma vaga entre os titulares rubro-negros não é à toa. Ele não joga há mais de dois meses, desde 13 de março, quando entrou no decorrer do empate com o Concórdia, nas quartas de final do Campeonato Catarinense. Não foi sequer relacionado pelo técnico Gilson Kleina de lá pra cá. 

Ele conta que o fato do Vitória ser um clube que costuma dar espaço a atletas jovens influenciou na decisão de ir para a Toca. “Tem essa fama de revelar jogadores e com certeza isso pesa, porque é uma grande vitrine. Devido ao momento atual que o clube está passando, eu venho para ajudar a colocar o Vitória onde ele merece estar. Se Deus quiser, vamos conseguir subir de divisão e progredir nos objetivos do clube”, disse. 

Este ano, Foguinho disputou 10 jogos pela Chapecoense, dois como titular, e balançou a rede apenas uma vez. O outro time que defendeu foi o Brusque, na Série B do ano passado: oito jogos, sendo um como titular. O meia está ansioso para apresentar as habilidades ao torcedor do Vitória.

“Eu sou um meio-campo ofensivo, tenho bom passe e boa visão de jogo, tenho também o drible. Gosto de sempre estar perto do gol”, contou, antes de garantir que não vai titubear com o peso da camisa rubro-negra. “No futebol a gente tem sempre que estar mostrando algo. Num campeonato difícil como está sendo a Série C deste ano, a gente tem sempre que performar da melhor forma possível, buscando pontuar e brigar lá em cima pela classificação. No mata-mata é outro campeonato. Vamos brigar bastante para buscar esse acesso com o Vitória”, prometeu.

E sim, podem chamar ele de Foguinho à vontade. “Ganhei esse apelido na base. Primeiro pelas características de jogo, porque eu tenho velocidade dentro do jogo, e também por causa do meu cabelo, porque eu sou ruivo. Meu nome é Vinícius, mas eu já me acostumei com esse apelido que me deram de Foguinho. Pode chamar de Foguinho. O torcedor do Vitória pode esperar que não vai faltar empenho, não vai faltar nada. Vou sempre trabalhar pra dar o melhor para o clube”, garantiu. 

Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *